De Moonlight e da solidão do homem escuro

De Moonlight e da solidão do homem escuro

Dos silêncios que gritam e das lágrimas que não descem

(Isto não é uma resenha, então não há spoilers)

Ele não fala. Porque eu também não falo. Ele apanha. Porque eu também apanhei.

Havia o mar. As águas abraçam tudo. Está ouvindo este som? É a chuva. Havia a água, que lava tudo. Exceto o que você carrega no fundo da sua alma. O que você oculta aí dentro? O que está enterrado aí? Nós nos reunimos. Amigos escuros. E aí, meu mano, beleza? Como é que tá essa força? Tô suave. Só. Nós nos cumprimentamos. Nós nos abraçamos. Sorrimos e gargalhamos. Só não falamos. Porque ele não fala. Porque eu não falo. Nós não falamos.

O pequeno é um pequeno como os outros. Só que percebe cedo que não é que nem os demais. Havia um corredor, sabe? As crianças correndo. Havia um corredor, as crianças corriam. Por que empurravam? As crianças corriam, gritavam, sorriam. Mas por que machucavam? Palavras. Xingamentos. Empurrões. Socos. Pontapés. Você não pode falar. Porque você tem que ser homem. Agir feito homem. O homem escuro tem que bater. Tem que se impor e mostrar que é macho. Porque o homem escuro tem o membro grande. É um grandalhão, é um monstro. Está no filme, está no livro, está no videogame. Você tem que empurrar, xingar e bater, e se você não bate, xinga e empurra, então você volta arrebentado para casa.

O jovem fica mais esperto. Membro grande. Querem. Quem quer você não quer. Ou que você acha que quer. Pálidas. O membro grande. Ensinam o que você tem que querer. Porque não é o que você é, mas é o que querem que você seja. Não apanha mais, pois afinal, bateu. Ele apanhou e revidou. Com violência. Todos temos que revidar com violência? Membro grande, animal. Querem. Você tem que ser macho, pois afinal, você é grande. Você é escuro. Logo, você é um animal. Onde estão as lágrimas. Está chovendo lá fora, preciso me lavar. Mas a alma continua sangrando.

O que é que são os seus desejos? Você não sabe. Não precisa saber. Apenas atenda à expectativa. Membro grande. O que você deseja não interessa. A sua sexualidade não importa. Você deve cumprir o que é combinado. Você veio para cá acorrentado feito um animal. Membro grande. Faça o que foi combinado, por gentileza.

Não pode falar. O homem escuro não fala. Se falar, será xingado. O homem escuro não pode falar de solidão. Porque o homem escuro é um animal. O homem escuro é um opressor. O homem escuro é um bicho que deve xingar, bater, ferir. Pode fazer qualquer coisa. Exceto falar. O homem escuro não fala nem quando está com outros homens escuros. Se reúnem, confraternizam. Bebem, jogam. Tapinhas nas costas. Trocam ideia, jogam conversa fora. E as palavras continuam em silêncio.

Os sentimentos do homem escuro permanecem trancafiados, lá naquela caverna subterrânea na qual você se escondeu. Aquela caverna na qual você se escondeu quando chorou pela primeira vez, no silêncio da escuridão.

Você não pode falar. Você é um homem escuro. Você tem que ser homem. Tem que ser macho. Você tem que atender à expectativa do que se espera de você. Você não pode errar. Não pode vacilar. Não pode falar. E não se atreva a chorar. Você é um homem escuro.

Só que a chuva não dura para sempre.

A água lava tudo. Lava até a sua alma. As águas alcançam até tudo isso que você trancafiou aí nessa caverna. Vamos cantar. Vamos nos reencontrar.Sorrir é possível. A chuva passa. Ainda que os silêncios permaneçam. As palavras se expressam das mais diversas formas, mesmo quando não são ditas. O que é isso aí que você trancafiou no fundo da caverna? Pode falar. As águas lavam tudo. Ele não fala porque eu também não falo. Pode se expressar. Você é um homem escuro.


31/05/2017
Fábio Kabral

Fábio Kabral

Redator

Escritor caótico e menino do rio que vai conquistar o mundo com uma flecha só.