PUMZI (REVIEW)

PUMZI (REVIEW)

Esse curta metragem queniano se passa após a 3ª Guerra Mundial, que causou o extermínio de quase todos os seres vivos da Terra num conflito pelo recurso mais precioso do planeta: a água. Animais e plantas estão extintos, a humanidade como conhecemos se foi. Os que sobraram, vivem aparentemente num sistema que proibe sonhos e individualidades, talvez para preservar a espécie, porém tudo pode ser abalado por uma descoberta da Dra. Asha, que conseguiu fazer uma semente germinar apartir de um punhado de terra não radiativo. Será que ela conseguirá salvar o futuro da raça humana, mesmo contra a vontade de seus líderes ?

Pumzi é um curta metragem da diretora Wanuri Kahiu, produzido por Simon Hansen, que é conhecido pelo curta Alive in Joburg que posteriormente virou o filme Distrito 9. A dupla conseguiu colocar na tela um futuro distópico visualmente intenso mesmo com poucos recursos, em uma narrativa poderosa que mostra uma mulher abandonando sua aparente tranquilidade em nome dos sonhos e da ciência. Elementos que na maioria das ficções eurocentricas nessa temática não andariam juntos, mas que na levada afrofuturista ficou demais.



29/06/2016
Rodrigo Cândido

Rodrigo Cândido

Redator

Pai do Jorge, bebedor de cerveja, ilustrador e amante de quadrinhos.